Páginas

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

A volta da volta

Olá pessoas!

Tem uns dois anos que eu não pareço aqui, no começo tive problemas com um pc e internet e depois de um tempo eu acho que esqueci mesmo, me desculpem. Então hoje conversando com o #PapaiAdolescente decidimos abri um canal e acabei lembrando aqui do blog... ainda estou cuidado e formulando o canal, vou tentar fazer um video teste essa semana e mostro aqui pra vocês...

O post era só pra falar isso mesmo, agora tô de volta! :)

Espero que todos gostem! Bjs

domingo, 10 de agosto de 2014

Como amamentar mudou a minha vida?


A experiencia que tive na amamentação do Nicolas foi realmente frustante, contava com mastite, leite empedrado, fissuras, e o pior, falta de informação e coragem. Eu sabia o quanto era importante pra ele, mas não fazia daquilo uma motivação, hoje eu vejo que fui fraca, se tivesse persistido, acho que teria conseguido. Mas não me sinto menos mãe por isso, fiz o que pude até onde eu pude. 

Hoje a história é outra, me preparei desde a gestação para poder alimentá-la com meu leite, tomava 15 minutos de sol nos seios sempre que podia, preparei meu psicológico, busquei informações, produtos e técnicas que poderiam me ajudar. 
Quando ela nasceu, tive fissuras no bico pois ela não pegava o bico da maneira correta, dormiu durante as mamadas e fui muito bem orientada pelas enfermeiras que por varias vezes iam no quarto ver como ela mamava e me explicavam 30 vezes se fosse necessário. Quando voltei pra casa notava os peitos super cheios, comprei a concha de amamentação que me ajudou muito. As fissuras sararam, o leite que vazava ficava ali na concha e eu só ia retirando. E daí fui percebendo que depois de 1 semana já não ficava tão cheio, pois o peito foi se adaptando a demanda do bebê. depois de uns 20 dias tive mastite no seio esquerdo, estava vermelho bem inflamado e dolorido, até hoje não entendi o porquê pois ele não estava totalmente cheio. Mas extrai o leite com compressa de água gelada pois ela "corta" temporariamente a produção do leite, enquanto a água quente estimula. Passado a mastite tudo ocorreu ok, tem dias que parece que o peito não enche de jeito nenhum, meu médico me receitou um remédio e hoje li que produzimos praticamente 1 litro de leite por dia e o necessário é que nós lactante bebam em torno de 3 litros de água por dia, pois 84% do leite é produzido de água.

A amamentação é totalmente ligada ao nosso emocional, sempre que fico chateada ou tenho alguma discussão com namorado ou com qualquer outra pessoa que fale algo que me aborreça, a produção diminui, ou fica desregulada, produzindo mais em um peito do que em outro.
Enfim.
Está sendo a melhor experiencia da minha vida. Hoje vivo por ela, produzo o alimento dela, ela vive e se desenvolve de mim.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Gravidez do Nico e relato de parto!

Estou fazendo esse post, pois muitos estão me perguntando sobre as diferenças das duas gravidezes que tive. Me perguntam muito sobre a do Nicolas, já que estão acompanhando apenas a da Alice. Então resolvi criar esse post pra esclarecer tudo direitinho sobre a dele, e meu relato de parto. 

Gravidez do Nicolas: 

Engravidei dele aos 15 anos, eu e pai dele estávamos juntos á 3 meses, e antes que se perguntem, foi sim um super choque que tomamos! O relacionamento era recente, apesar de nos conhecermos á muito mais tempo. Mas decidimos encarar a barra, e nos jogamos dispostos a enfrentar todo o desconhecido que viria pela frente. 
Tive muitos enjoos no começo, MUITOS! Vomitava em todo canto, o dia todo, e tudo que comia. E quando chegou nos 3 meses, os enjoos continuaram até uns 5 com bastante frequência, mas foi diminuindo com o tempo, mas me lembro de ter passado mal algumas vezes ainda com 7 meses! Enjoei com cheiro de um perfume do pai, que até hoje não gosto de sentir.
Em torno dos 4 meses, quando realizei o US da TN, foi constatado uma alteração que meu bebê teria o risco de ter síndrome de down ou problemas cardíacos. Mais um choque! Vocês nem imaginam... Médicos nos deram a escolha por realizar um exame e confirmar se ele tinha mesmo ou não, ou esperar a evolução da gestação e do bebê, e até seu nascimento para confirmamos. Optamos por não fazer o exame, pois corria risco de aborto! Fora que, ele sendo especial ou não, seria nosso filho mesmo assim, o amaríamos e cuidaríamos dele da mesma forma, então não tinha pressa. Graças a Deus com o passar dos meses, com um acompanhamento mais detalhado, tudo ocorreu bem, ele estava saudável e todos outros exames não continham mais alterações!
Eu tive desejo de 2 coisas durante a gravidez... comer feijoada e um bolo de brigadeiro. Sobre a feijoada eu me surpreendi, pois nem feijão carioca eu tinha costume de comer, comia forçado por conta da gravidez, e numa das consultas com meu GO, aguardando a hora de entrar, assistindo a TV, passava uma receita de feijoada, na hora fiquei aguada, e fiquei 1 semana inteirinha comendo feijoada pois muita gente fez e mandou pra mim! E quanto ao bolo, senti a vontade, liguei para o pai, ele trouxe 2 mega pedaços (tortura para ele, pois é diabético), e adivinhem? Eu devorei os 2!
De resto, a minha gravidez foi super tranquila, não tive complicações, dores, infecção, nada! Engordei 15 quilos no total, meus cabelos cresceram muito e ficaram lindos! Unhas e pele lindas também... Fiquei com estrias apenas no quadril e bumbum, na barriga saiu uma 3 dias antes dele nascer, em cima do umbigo, mas eu cuidava muito, vivia cheia de óleo na barriga. 




Aos 7 meses de gestação eu e o pai
 terminamos, por isso fiz as fotos
sozinha!
Até 1 semana antes do parto ele não estava encaixado, eu não tinha nenhuma contração de treinamento, nem tampão havia saído. NADA! Meu médico optou por marcar cesárea, pois pela minha idade não era aconselhável que eu chegasse até as 40 semanas aguardando o parto normal já que não tinha nenhuma sintoma de que viria logo. Fiquei muito triste e frustrada pois tenho pavor de cesárea e me preparei a gravidez inteira para o PN. Eu ficava conversando com o Nico na barriga, pedindo pra ele "sair a qualquer momento" e não deixar que ninguém cortasse a mamãe. Como tenho um filho super obediente (até hoje), 2 dias antes do parto fui realizar o ultimo ultrassom, ele estava encaixado e eu sentia dores, fiz o cardio toco e eram as contrações de treinamento. Vocês não imaginam a minha felicidade!!! No dia do parto tinha uma consulta com o GO, me sentia bem, apenas leves contrações de treinamento, chegando lá fiz exame de toque, e já estava com 3 a 4 cm de dilatação. De lá fui para a casa, peguei nossas coisas e fomos para o hospital, chegamos em torno do 12h, eu de jejum, morrendo de fome! Foi um pouco demorado pra sair minha autorização do convenio para internação, enquanto isso fomos evoluindo, 5 cm, 6 cm, 7 cm e fui internada, cheguei no quarto mas quando viram que tinha 7 cm, me mandaram para a sala de pré-parto, fiz cardio toco novamente, e meu médico nem havia chegado ainda, foi aí que comecei a sentir dores de verdade, mas ficamos aguardando, fui evoluindo rapidamente, me injetaram ocitocina pois a bolsa não havia rompido ainda, assim que o médico chegou já estava com 8 pra 9 cm, ele me explicou que o Nico já poderia nascer, mas pra esperar a bolsa romper eu poderia ficar em TP por um tempo indeterminado, mas que ele poderia induzir o parto rompendo a bolsa, eu estava com tantas dores que aceitei e assim ele o fez. Depois disso, fomos para a sala de cirurgia e as dores estavam FORTES DEMAIS, eu me contorcia na maca, não gritava, mas resmungava bastante, a anestesista foi verificar e tinham me injetado uma dose muita alta de ocitocina para meu tamanho e peso, e que teria que me dar a anestesia pelidural (raque) geralmente usada para o parto cesárea, mas tudo bem porque eu ainda conseguiria fazer força, e sentiria a barriga dura conforme as contrações viessem. Em 5 minutos (suponho) o pai entrou para ver o parto, e em mais alguns minutos, sentia a barriga dura e era orientada para fazer força, foi preciso apenas 3 contrações, e ele nasceu! Deu aquele chorinho, o pai dele tremia e chorava e eu chorava junto, ele veio ao meu lado e logo segurou meu dedo, foi lindo! Pesando 3,365 quilos, medindo 49,5 cm. Super saudável e gordo, sem síndrome de down, perfeito!

MELHOR MOMENTO DA MINHA VIDA!
Ainda no hospital: 
Voltamos poucos dias após o nascimento!


E quando fomos para casa: 

Dia do aniversário do papai!
 

Com 1 mês de vida.
Com o passar dos meses:




1 aninho!

Quase 3 anos!
E foi assim que a minha vida virou de ponta cabeça, mas ele foi o melhor presente de Deus na minha vida. Foi aí que percebi o sentido de tudo, cada passo que eu dava era por ele, tudo tem um motivo, um porquê, que é ELE! E hoje na verdade, são eles. Meu Nicolas e minha Alice, os amores da minha vida. 

Rumo ao 3º aniversário!

A espera da Alice!